ORGANIZAÇÃO DOS ESTADOS AMERICANOS

A Fragilidade das Democracias Americanas em 2019

A América Latina, desde os tempos de colonização, apresenta-se frequentemente como palco de diversos conflitos, como: instaurações de ditaduras, geralmente militares; disrupções democráticas, infligindo diretos humanos ou até mesmo à Carta Magna de suas respectivas nações. Dito isso, consequentemente, configuram-se cenários nos quais propiciam-se a frutificação de crises: sejam elas de caráter imigratório, econômico, político, e populacional, resultando, deste modo, em revoltas e/ou manifestações. Sendo assim, o objetivo de nosso comitê é procurar expressar e debater, da maneira mais respeitosa possível, as questões que permeiam a história e o dia a dia político da região latino-americana no século XXI.

Com isso, o comitê da OEA trará questões importantíssimas do continente Americano, tais como: a possível reeleição de Evo Morales na Bolívia, riscos aos direitos humanos e à democracia na Nicarágua, crise humanitária e econômica na Venezuela, entre outros. Nesta reunião, os senhores poderão e deverão explorar seus conhecimentos acerca dos assuntos abordados, manifestar ideias sobre os países que estão sendo representados em prol de possíveis resoluções acerca das problemáticas expostas e, é claro, buscar refletir como a conjuntura de uma região tão complexa como esta repercute em nosso cotidiano e na política doméstica de cada país compreendido em seus limites. Prontos para ajudar a América?!

Os diretores

Conheça os diretores:

Eduardo Reis, diretor da Organização dos Estados Americanos (OEA) do I MIH.

Eduardo Reis

Amantes de simulações, como estão? Sou Eduardo Queiroga Reis, tenho 19 anos, ex-CP2 Humaitá de coração e de estudos e estou cursando Ciências Econômicas no IE da UFRJ. É uma horna inimaginável e inenarrável poder estar participando neste incrível I Modelo Intercolegial do Humaitá como Diretor de Comitê da OEA, especialmente no lugar onde parte da minha vida foi escrita. Espero, diplomaticamente, poder ajudar as Senhoras e os Senhores, Delegados e Delegadas de nações, a ter uma experiência formidável. Preparados para salvar o mundo?! (Ou pelo menos as Américas? rs).

Filipe Rubim

Bom dia, tarde ou noite, senhores delegados! Eu sou Filipe Rubim, e estou no segundo ano no "querido" Colégio de São Bento. Gosto muito de história, política e de comitês que tratam de temas atuais, e essa OEA mescla um pouco de tudo isso. Estou muito animado por participar do I Modelo Intercolegial do Humaitá e minhas expectativas para o comitê estão altíssimas! Para qualquer dúvida, não hesitem em chamar alguém da mesa! Até lá!

Filipe Rubim, diretor da Organização dos Estados Americanos (OEA) do I MIH.
Fernanda Paz, diretora da Organização dos Estados Americanos (OEA) do I MIH.

Fernanda Paz

Fala, galera, tudo tranquilo? Me chamo Fernanda Paz, tenho 18 anos, concluí meus estudos em 2019 no CPII Humaitá e atualmente curso Direito na UFRJ. Confesso estar extremamente feliz em poder participar desse maravilhoso evento como diretora de comitê da OEA, mas acima de tudo, poder presenciar a concretização de um grande sonho: vivenciar e assistir o crescimento deste campus tão querido ao meu coração e com ele a realização de um acontecimento magnífico que é seu I Modelo Diplomático. Meu entusiasmo pode soar um pouco exagerado inicialmente, mas ao longo de nossos encontros e sessões de debates, os senhores poderão perceber na prática os motivos pelos quais me levam a falar com tanta paixão. Bom, meus queridos, creio que tenha me apresentado decentemente e espero com muito carinho que possamos criar incríveis memórias, momentos e que os senhores possam ter a inigualável sensação de que participaram de algo grandioso. Nos vemos no MIH!

Marcos Miguel

Olá, futuros delegados. Meu nome é Marcos Miguel, tenho 16 anos e estudo no Colégio de São Bento, na segunda série. Como amante das simulações diplomáticas, posso dizer que é um prazer para mim poder participar da criação do MIH e da expansão desse hobby que já adquiri como um vício. Tendo demonstrado minha paixão nem um pouco secreta pela política internacional, que eu passe às futilidades. Sou um pisciano (sem ascendente em escorpião ☹), admirador de filmes e séries, com um interesse particular pelo dress code da modelândia. Por fim, uma vez que sou fanático por formalidades, podem esperar de mim uma certa cobrança especial na redação de documentos. Mas não se intimidem por esta última frase, pois estarei sempre aberto para dúvidas ou mesmo desabafos. Até o MIH!

Marcos Miguel, diretor da Organização dos Estados Americanos do I MIH.